MindForest

pré-incubada

Descrição da Empresa:


Startup cria aplicativo para facilitar rastreio de doenças e transtornos mentais

Em 2021, a depressão afetou cerca de 31 milhões de brasileiros, resultando no custo de U$ 78 bilhões de dólares para o Brasil em virtude da redução de produtividade no mercado de trabalho.

Com o intuito de facilitar o rastreio de doenças e transtornos mentais em empresas, universidades e demais ambientes, estudantes dos cursos de Medicina, Engenharia Biomédica e Tecnologia da Informação (TI) resolveram criar a Startup MindForest, operando por meio de um aplicativo mobile.

A ideia surgiu durante o semestre letivo de 2022.1, na disciplina “Projeto de Inovação Tecnológica/Inovação em Saúde”, do Instituto Metrópole Digital e o Departamento de Cirurgia da UFRN/HOUL, com o objetivo de reduzir o crescente impacto de transtornos mentais no Brasil e no mundo.

O monitoramento realizado pelo aplicativo é feito por meio de questionários, que já são utilizados por psiquiatras e psicólogos em clínicas. A ideia é adaptar esses recursos para o ambiente virtual, com apresentação lúdica e engajável.

O time da MindForest é formado por Leonardo Alves, estudante de Medicina; Lucas Agilla, estudante de Engenharia Biomédica; Felipe Rodrigues, bacharel em Tecnologia da Informação e que já tem experiência em desenvolvimento de aplicativos; Gabriela Alves, engenheira Biomédica; e Edilson Pinto, professor da disciplina Inovação em Saúde e orientador da equipe.

Atualmente, a empresa encontra-se no processo de pré-incubação da incubadora do Metrópole Parque e está avaliando sua solução antes de lançá-la efetivamente no mercado.


Contatos:

leonardo.alves.017@ufrn.edu.br

Sala: A408